Tradução (Translate)

quarta-feira, 30 de abril de 2014

(VÍDEO) POR TI, EUSÉBIO


Querido Rei,

Escrevo-te ainda emocionado. Escrevo-te ainda sem a voz recuperada dos cânticos, com a memória ainda cheia de momentos inesquecíveis. Os cheiros, as luzes e os sons que recordo de domingo, na Luz e no Marquês. Viste a festa Rei? Claro que viste…

Rei, espero que esta carta te encontre bem. Dá um abraço meu ao Capitão Coluna, diz-lhe que também a ele é dedicado este título. Sim Rei, eu sei que foste tu quem chamou o Monstro Sagrado para a tua equipa e espero que aí em cima estejam a fazer a vida negra ao Damas e ao Yashin.

Rei, merecias ter lá estado também. Merecias ter saltado da cadeira num impulso de alegria quando o Lima marcou o primeiro. E merecias saltar logo a seguir com o segundo. Como fiz eu, como fizeram os 65 mil vibrantes que estiveram na Nossa Casa. Viste o quão bonita estava a Nossa Casa? Claro que viste…

Rei, merecias ter subido ao relvado, merecias ter pegado na Taça com a elegância que sempre tiveste. Merecias ter estado naquela festa linda. Merecias entrar em campo ao lado de Vieira de Jesus e do Capitão Careca. Merecias partir com estas memórias e não com as memórias de Maio passado. Merecias abraçar, um a um, os nossos jogadores. Merecias abraçar o Cardozo. Viste o Cardozo a dedicar-te o título? Claro que viste…

Rei, na Luz as lágrimas escorreram pelas caras de miúdos, graúdos, idosos, homens e mulheres, portugueses e estrangeiros. Todo o País se vestiu de vermelho. E que bem que fica o vermelho a Portugal. Perdão, todo o mundo se vestiu de vermelho, desde os Estados Unidos a Timor, passando pelo Brasil, Angola, Moçambique (o teu Moçambique…), Cabo Verde, São Tomé, França, Suíça, Alemanha… Viste a festa encarnada em todo o Mundo? Claro que viste…

Rei, no Marquês estiveram milhares e milhares de pessoas. Vindas de todo o lado, cansadas e roucas mas querendo que aquele dia não chegasse ao fim. Ficou pintado de vermelho, a cidade parou, o Metro não funcionou, o comboio demorou mais de meia hora de Benfica ao Rossio, os taxistas recusaram ir para o centro da cidade. Estava um caos, Rei. Mas um caos bonito. E a estátua do Marquês vestiu o manto sagrado. Viste o quão bela estava a estátua? Claro que viste…

Rei, os nossos jogadores foram uns heróis. A nossa equipa é a melhor do Mundo. O Lima, o Artur e o Jardel beberam demasiado. O Siqueira só filmava para mais tarde recordar. O Paulo Lopes subiu a baliza com a taça. O Rúben Amorim parecia uma criança. O Enzo Pérez emocionou-se com as vénias de todo o estádio. O Jesus vestiu-se a rigor e foi placado por um polícia. E o Markovic foi o Rei da festa, cantando “SOB, SOB, SOB” a todo o momento. Viste a euforia dos Nossos meninos? Claro que viste…

Rei, continua a dar-nos força aí de cima. Tudo o que ganharmos será para ti. Muito do que somos devemo-lo a ti. E continua a encarnar nos nossos jogadores aqui e ali. Obrigado pela aparição que fizeste no corpo do André Gomes na quarta-feira passada. Todos sabemos que só tu poderias marcar um golo assim. Viste o golo do André? Claro que viste…

Rei, se tudo correr bem, ainda terás mais para festejar esta temporada. Fala com o Guttmann e vê lá se ele acaba de uma vez com o enguiço europeu. Rei, queremos festa no Jamor. E em Turim. Vais lá estar? Claro que vais…

Rei, vamos recordar-te para sempre? Claro que vamos…
 

Sem comentários:

Enviar um comentário