Tradução (Translate)

sábado, 18 de junho de 2016

REABRIU A ANTIGA SECRETARIA NA RUA JARDIM REGEDOR

A Direção de Património Cultural do Sport Lisboa e Benfica e a Fundação Benfica apresentam quatro exposições inéditas no coração da cidade. Da poesia imóvel do fotograma de Roland Oliveira aos lugares da memória onde o Benfica glorificou o seu nome. Da urgência solidária da Fundação Benfica à viagem por um edifício com quase dois séculos de história.
Para que a memória nunca se apague, reviva os grandes momentos do Benfica na mítica secretaria da Rua do Jardim do Regedor!


O local onde se ergue o edifício da antiga secretaria do Sport Lisboa e Benfica, hoje património da Fundação Benfica, é um sítio com uma história que recua até ao século I. Quando Lisboa era ainda Olisipo, por ali passava uma importante via romana de saída da cidade. Mais tarde, esse era o local da Porta de Santo Antão da medieval Cerca Fernandina e do Palácio da Inquisição, com o seu jardim, estruturas que viriam a dar nome à Rua das Portas de Santo Antão e à Rua do Jardim do Regedor.
O edifício, que faz parte do plano de reconstrução da cidade após o terramoto de 1755, é construído em meados do séc. XIX para habitação. Transformou-se num dos clubes noturnos mais representativos da noite lisboeta, o Bristol Club (1918-1928), e, a partir de 1933, é ocupado pelo Sport Lisboa e Benfica.
No espaço da receção, uma cronologia leva o visitante a percorrer vinte séculos de um sítio com história.
Curadoria: Gabinete de Estudos Olisiponenses


De um tempo em que a fotografia era a imagem dos acontecimentos, os “flagrantes” e “bonecos” de Roland Oliveira retratam parte da vida desportiva e social do Sport Lisboa e Benfica entre 1955 e 1962. Repórter fotográfico desde o final da década de 40, colaborou com inúmeras publicações desportivas, entre as quais a Stadium, o Record e o jornal do “seu” Benfica.
Preservar e mostrar o acervo fotográfico de Roland Oliveira, hoje pertença do Sport Lisboa e Benfica, permite-nos rever pessoas, acontecimentos e lugares do Clube num tempo ímpar de afirmação e crescimento, onde ao profissionalismo do futebol e ao ecletismo das modalidades amadoras se juntava uma intensa vida associativa.
Como uma arqueologia visual, permitem-nos revisitar sítios, pessoas, modos de estar e afetos, fintando inúmeras vezes a realidade, e (re)constroem fragmentos importantes na nossa memória coletiva.
Curadoria: Paulo Catrica


Exposição evocativa da trajetória das exposições do acervo do Clube, em espaços próprios, ao longo do tempo. Inicia com a primeira exibição pública de troféus de que há registo, em 1910, e termina com o Museu Benfica - Cosme Damião, inaugurado em 2013. No percurso expositivo, há um enfoque especial na reinstalação da Sala das Taças de 1970, situada no mesmo local onde a exposição decorre.
Pretende-se, também, confrontar o visitante com a diferença entre a prática museológica do passado e a do presente. Nomeadamente, entre o modelo tradicional que imperava nas salas de troféus – centrado na exibição da quantidade – e a visão contemporânea do Museu Benfica - Cosme Damião – focado na comunicação da memória.
Homenageia, ainda, Álvaro Curado e Joaquim Macarrão, dois cuidadores históricos do acervo do Clube.
Curadoria: Luís Lapão, Ana Saraiva Rosa, Mafalda Esturrenho


No espaço da Fundação Benfica o visitante poderá conhecer os vários projetos que a Fundação tem vindo a desenvolver, desde a sua criação em 2009, no âmbito da Responsabilidade Social. A intervenção é realizada prioritariamente junto de crianças e jovens, mas também são contemplados projetos e ações com famílias, idosos, cidadãos portadores de deficiência, pessoas em situações de diminuição de meios de subsistência ou de capacidade para o trabalho, entre outros públicos.
A Fundação assume claramente a sua responsabilidade de aportar ao setor da solidariedade a capacidade aglutinadora e transformadora do desporto e muito particularmente o potencial inovador do Sport Lisboa e Benfica em termos de intervenção e desenvolvimento social. É pois, neste contexto, que se realiza um trabalho diário e agregador de múltiplas vontades e parcerias em prol do desenvolvimento humano, promovendo a construção de um futuro para todos.
Curadoria: Jorge Miranda

(Carregar nas imagens para ampliar)










1 comentário: