Tradução (Translate)

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

A ARTE DA GUERRA


Conhece o ponto forte e o fraco tanto dos que forem confiados a teus cuidados quanto dos inimigos. Informa-te da quantidade e do estado em que se encontram as munições e os víveres dos adversários que enfrentas. Distribui recompensas com liberalidade, mas com critério. Não poupes castigos, quando necessários. 

Ciente das tuas capacidades e limitações, não inicies nenhuma empreitada que não possas levar a cabo. Decifra, com a mesma argúcia, o longe e o perto, para que o que se desenrola sob teus olhos seja idêntico ao que deles está mais recôndito. Aproveita a dissensão entre os inimigos para atrair os descontentes para o teu campo, não regateando promessas, oferendas ou recompensas.

Evita cuidadosamente o que pode redundar num conflito generalizado. Dissimula sempre, com extremo cuidado, o estado de tuas forças. Haverá ocasiões em que te rebaixarás e outras em que simularás medo. Finge ser fraco a fim de que teus inimigos, abrindo a porta para a presunção e para o orgulho, venham atacar-te em hora errada ou sejam surpreendidos e derrotados vergonhosamente.

Finge desordem. Jamais deixes de oferecer um engodo ao inimigo para ludibriá-lo. Simula inferioridade para encorajar sua arrogância. Atiça sua raiva para melhor mergulhá-lo na confusão. Sua cobiça o arremeterá contra ti e então ele se estilhaçará.

Apresta os preparativos quando teus adversários se concentrarem. Quando forem poderosos, evita-os. Mergulha o adversário em continuas provações e prolonga seu esgotamento, mantendo a distância. Procura fortificar tuas alianças externas e consolidar tuas posições internas. Não arrisques tudo em um único combate, negligenciando a estratégia vitoriosa e fazer com que o destino de tuas armas dependa de uma única batalha!

Deves basear-te em avaliações prévias. Elas apontam para a vitória quando demonstram que sua força é superior à do inimigo. Indicam a derrota quando demonstram inferioridade. Com numerosos cálculos pode-se obter a vitória. Teme quando os cálculos forem escassos. E quão poucas chances de vencer tem aquele que nunca calcula!

Quando o inimigo estiver unido, divide-o. Ataca-o, quando ele não estiver preparado. Irrompe onde ele menos espera. Tais são as estratégias da vitória. Mas toma cuidado de não te servires delas antes da hora.

in Arte da Guerra de Sun Tzu

2 comentários:

  1. Falta dizer o mais importante - se o teu exército é composto de traidores a guerra está automaticamente perdida.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem-se visto. Só temos perdido.

      Eliminar